“Os Saltimbancos Trapalhões” chega ao Rio de Janeiro em setembro

image
Foto: Divulgação (Fanpage Oficial)

Seguem as homenagens ao 70º aniversário do compositor Chico Buarque, depois de estreias como “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “O Grande Circo Místico” e “Ópera do Malandro”, chega ao Rio de Janeiro, antes do previsto, o musical “Saltimbancos Trapalhões”, a 34° produção de Moeller & Botelho, e que vai conquistar adultos e crianças.

Trazendo a querida dupla de humoristas Didi e Dedé ao palco (em uma situação inédita), o espetáculo, que estreia em setembro, na Cidade das Artes, contará a mesma história do filme homônimo, de 1981, resgatando assim o bom humor e a poesia da obra baseada na peça teatral de Sérgio Bardotti e Luis Enriquez Bacalov –  e que foi inspirada no conto “Os Músicos de Bremen”, dos Irmãos Grimm.  Com adaptação para o português feita pelo compositor Chico Buarque, o sucesso ganhou uma das mais famosas trilhas sonora do teatro e do cinema, com clássicas canções como “Hollywood”, “Piruetas”, e “A História de uma Gata”.
image

No longa, que tinha a direção de J. B. Tanko, responsável também por assinar o roteiro ao lado de de Renato Aragão, Antonio Pedro, Gilvan Pereira, e Tereza Trautman, a trama trazia o quarteto de humoristas “Os Trapalhões”, formado por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, como funcionários do ganancioso Sr. Barão, dono do circo Bartolo, e juntos, se tornam a grande atração do local graças à sua capacidade de fazer rir, o que acaba provocando uma “batalha” contra o mágico Assis Satã. O filme contava ainda com nomes como Lucinha Lins, Ivan Lins, Paulo Fortes, Mila Moreira, e Eduardo Conde no elenco.

A primeira montagem musical, que aconteceu em 1977, ficou famosa por levar ao palco carioca do Canecão, artistas da tv e da música, como Marieta Severo, Miúcha, Pedro Paulo Rangel, Grande Otelo, e as crianças Bebel Gilberto, Isabel Diegues, e Silvia Buarque. Quinze anos depois, uma outra montagem ganhou os aplausos, e contava com Nizo Neto, Maria Lúcia Priolli, Ruben Gabira e Suely Franco, substituída tempos depois por Andréa Veiga. A produção foi remontada em 2006, e desde então não ganhava novos palcos.

Conheça alguns nomes que integram o elenco da nova montagem de “Os Saltimbancos Trapalhões – O Musical”, que estará sob a direção de Charles Möeller e Claudio Botelho, e terá como à frente os humoristas Renato Aragão e Dedé Santana.

*Fotos oficiais da fanpage do musical.

Respeitável público, com vocês, Gabriel Stauffer!

Após 31 anos desde a primeira estreia, o espetáculo “O Grande Circo Místico” está de volta ao Rio de Janeiro. Uma nova “trupe” traz na bagagem uma história de amor delicada e regada a clássicas canções populares brasileiras, e se prepara para estrear para convidados hoje, 24, apresentando os mais belos números, envolvendo música, teatro, dança, poesia e a arte circense.
No palco, o ator curitibano Gabriel Stauffer, vive o protagonista Frederico, um médico do exército, aristocrata, apaixonado, e que você vai poder conhecer melhor agora, nessa entrevista exclusiva para o                    “A Broadway É Aqui!”.

 

Gabriel StaufferMorando em solo carioca há quatro anos, o ator, que apostou na publicidade antes de se formar pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), pode dizer que vive um entrosamento com a arte desde pequeno; Gabriel, que também já trabalhou como modelo e com televisão, conheceu o universo do teatro durante a adolescência, quando entrou para o Grupo Oxigênio, que usa a arte de rua e o serviço social para contribuir de forma criativa e positiva na transformação da sociedade, através de apresentações artísticas com teatro, palhaços, arte circense, stomp, dança e pirofagia.
Dessa forma, a nova produção do diretor João Fonseca chega à vida do intérprete de Frederico como um marco especial, e que positivamente o favorece, afinal, já deu para perceber que dos desafios do mundo do picadeiro, ele entende e conhece.

“Meu primeiro musical também se passava no cenário circense, “Um Palhaço Diferente”, eu fazia o papel do apresentador do circo.
Comecei a fazer circo cedo, em 2007 com o grupo Oxigênio, em Curitiba. Lá tive aulas de circo e oficinas de Clown. Agora, aqui no Circo Místico, foi só reaquecer os motores. Mas cantar na corda bamba, de ponta cabeça e dando mortal são pontos de superação.”

Foto: Leo Aversa - Crédito obrigatório.

Gabriel, que já estava escalado para o elenco há três meses, mas a principio não como protagonista, assumirá a honrosa responsabilidade no lugar de Tiago Abravanel, afastado por uma torção no tornozelo, e conta como foi o processo para compor Frederico, além das dificuldades que encontrou, mesmo em meio a tantas habilidades.

“Frederico é um personagem que exige três habilidades específicas do ator: o circo, o canto e a interpretação. Pra mim, o maior desafio foi o canto, cantar Beatriz com todas as notas não é fácil. As músicas da peça são lindas, delicadas e bastante complexas. Pra dar conta desse desafio, além da orientação e grande apoio do nosso querido diretor musical, Ernani Maletta, estou fazendo preparação vocal com Ricardo Góes. Na interpretação, busquei muita referência em filmes, livros e até em conhecidos meus, amigos, que acho que tem um pouco de Frederico.

Gabriel
Gabriel como Frederico (Foto: Divulgação)

Ele é um homem guiado pelo coração, é aristocrata e médico. E se vê envolvido por uma trama orquestrada pela sua noiva, Charlote, quando ela descobre sua paixão secreta por Beatriz, a bailarina do circo que chega à cidade. É um personagem rico e cheio nuances, que vão desde o amor puro, ao enfrentamento transcendental dos horrores da guerra”.

O espetáculo que estreia oficialmente para o grande público na próxima quinta-feira, 01, está em fase de previews, mas Gabriel já consegue escolher seus momentos preferidos e mensurar suas expectativas para a temporada.

 “A peça inteira é especial e arrebatadora, mas particularmente existem dois momentos que mexem comigo. O momento que canto Beatriz, que considero uma das obras primas da mpb e o fim do espetáculo, que eu não posso falar agora. Mas quem for assistir vai poder compartilhar da mesma emoção.
Será minha primeira grande aparição nos palcos cariocas. É um grande momento na minha carreira profissional, estou muito feliz e empolgado. O público pode ter certeza que terá 100% de mim no palco. Elenco, direção e produção, todos são talentosíssimos e trabalharam muito pra colocar esse espetáculo de pé. Tenho certeza que será um sucesso e vai tocar o coração de todos que forem assistir”.

ogcm

Sobre “O Grande Circo Místico”

Um aristocrata, uma acrobata, um romance. A saga da família austríaca, proprietária do Grande Circo Knieps, que viajava pelo mundo nas primeiras décadas do século XX, e grandes clássicos compostos por Chico Buarque e Edu Lobo dão vida ao novo musical de João Fonseca.

Em cena, ao lado de Gabriel StaufferLeticia Colin (Beatriz), Reiner TenenteFernando Eiras, e Isabel Lobo, além de atores, cantores e acrobatas profissionais que formam o ensemble, composto por Ana Baird, Douglas Ramalho, Felipe Habib, Juliana Medella, Leonardo Senna, Leo Abel, Luciana Pandolfo, Renan Mattos, Marcelo Nogueira, Natasha Jascalevich, Paula Flaibann e Thadeu Torres.

Com a produção da Primeira Página Produções Culturais, texto de Newton Moreno e Alessandro Toller, direção musical de Ernani Maletta, e supervisão musical de Edu Lobo, os cenários contam com a assinatura de Nelo Marrese, a iluminação de Luiz Paulo Nenen, os figurinos de Antônio Medeiros, o visagismo de Leopoldo Pacheco, e a coreografia de Tania Nardini.

 

Serviço:

Theatro Net Rio - Sala Tereza Rachel
Rua Siqueira Campos, 143 - 2º andar - Copacabana
Tel: (21) 2147-806
Quando: De 01 de maio a 27 de julho
        Quinta e sexta, às 21h
        Sábados, às 21h30
        Domingos, às 20h.
Quanto: Platéia, frisa e balcão R$150 
        Mezanino R$100 e R$50

“O Grande Circo Místico” vem aí! Conheça o elenco

Como divulgamos em primeira mão ao final do ano passado (veja aqui), o clássico brasileiro de 1983“O Grande Circo Místico”, ganhará uma versão musical. Inspirado no poema homônimo de Jorge de Lima, o espetáculo é idealizado pela atriz Isabel Lobo, filha de Edu Lobo, e chega aos palcos pelas mãos do diretor João Fonseca (Tim Maia – Vale Tudo, o Musical / Rock in Rio – O Musical).

Circo

Para contar a história de amor entre um aristocrata e uma acrobata, e a saga da família austríaca, proprietária do Grande Circo Knieps, que viajava pelo mundo nas primeiras décadas do século XX, um time de peso, encabeçado por Gabriel Stauffer, que viverá FredericoLeticia Colin, que será a acrobata Beatriz, renomeada por Chico Buarque (no poema de Jorgede Lima ela se chama Agnes), Reiner Tenente, que será Clown, Fernando Eiras e Isabel Lobo.
Ao lado deles, atores, cantores e acrobatas profissionais formam o ensemble composto por Ana Baird, Douglas Ramalho, Felipe HabibJuliana Medella, Leonardo Senna, Leo Abel, Luciana Pandolfo, Marcelo Nogueira, Natasha Jascalevich, Paula Flaibann e Thadeu Torres.

O elenco que está em fase de ensaios, e não pertencia ao universo circense, vem se preparando intensamente para adquirir as práticas do picadeiro, e em suas redes sociais pessoais, já demonstram entrosação, habilidade e equilíbrio no trapézio, no tecido e no malabarismo.

Com uma famosa trilha sonora musicada por Chico Buarque e Edu Lobo, o álbum de 13 faixas, que se tornou um clássico da MPB, contou com a participação de diversos nomes da música, como Milton Nascimento, Tim Maia, Zizi Possi, Gilberto Gil, Gal Costa, entre outros, que emprestaram suas vozes a sucessos como “Beatriz”, “A História de Lily Braun”, “A Bela e a Fera”, e a canção título, “O Circo Místico”.

Sobre “O Grande Circo Místico”

A história teve sua primeira montagem em formato de balé, criada originalmente para o Balé Teatro Guaíra, do Paraná, mesclava também música, ópera, circo, teatro e poesia, e abriu sua primeira cortina após um ano de produção, em 17 de março de 1983, se consagrando um sucesso ao encantar mais de 200 mil pessoas, em suas quase 200 apresentações durante uma turnê que durou dois anos pelo país.
A obra encenada teve seus lugares esgotados no 
Maracanãzinho e até mesmo no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em uma parada internacional.

Circo Color

Agora, 31 anos após a sua primeira estreia, o musical que também faz parte da série de homenagens aos 70 anos de Chico Buarque de Holanda, chega ao Rio de Janeiro em 01º de maio, no Teatro NET Rio, com a produção da Primeira Página Produções Culturais, texto de Newton Moreno e Alessandro Toller, a direção musical de Ernani Maletta e supervisão musical de Edu Lobo. Os cenários ficarão a cargo de Nelo Marrese, a iluminação de Luiz Paulo Nenen, os figurinos de Antônio Medeiros, o visagismo de Leopoldo Pacheco, e a coreografia de Kika Freire.

*ATENÇÃO!! A produção informou oficialmente em 03/04/2014, que o ator TIAGO ABRAVANEL foi substituído por GABRIEL STAUFFER, devido a uma torção no tornozelo.

Leia também:

Conheça os protagonistas de “O Grande Circo Místico”