B!NewsElencoMusicaisMusicalMusical Brasileiro

Tiago Abravanel e Cássio Scapin farão parte de versão musical de “O Bem Amado”

Espetáculo terá canções de Zeca Baleiro e Newton Moreno e previsão de estreia para 2022

Em 2022, completam 100 anos do nascimento do escritor, dramaturgo e autor de novelas Dias Gomes. E está previsto um espetáculo em homenagem a uma de suas obras mais conhecidas pelo público: “O Bem Amado”, telenovela da Rede Globo inspirada na obra teatral “Odorico”, “O Bem-Amado” e “Os Mistérios do Amor e da Morte”, escritas em 1962 por Dias Gomes.

Ao que tudo indica, a produção, cuja adaptação para os palcos já foi assunto em 2014, será agora um musical com letras e canções inéditas de Zeca Baleiro e Newton Moreno, sob a direção de Ricardo Grasson. Dois nomes já aparecem confirmados no elenco, segundo coluna da jornalista Mônica Bérgamo, da Folha de São Paulo – os atores Cássio Scapin, o eterno Nino de “Castelo Rá-Tim-Bum”, mas que também já pôde ser visto em musicais como ‘Lampião e Lancelote’ e ‘Além do Ar – Um Musical inspirado em Santos Dumont’, e Tiago Abravanel, lembrado até hoje por sua atuação em diversos musicais, sobretudo “Tim Maia – Vale Tudo O Musical”. A dupla dará vida a Odorico Paraguaçu e Zeca Diabo, respectivamente.

Lima Duarte como Zeca Diabo e Paulo Gracindo como Odorico Paraguaçu na novela ‘O Bem Amado’

“O Bem Amado” é relembrado até hoje como uma das mais bem sucedidas produções televisivas da história da teledramaturgia brasileira. A trama foi exibida em 1973 acumulando entre os seus méritos, ser a primeira novela da TV nacional a ser exibida em cores e a primeira a ser exportada pela Rede Globo, tamanho seu sucesso na década de 1970. Foi estrelada por Paulo Gracindo, Lima Duarte e Zilka Salaberry, entre outros artistas que figuram no hall dos grandes nomes das telenovelas no Brasil.

A trama apresenta a fictícia cidade de Sucupira, no litoral da Bahia, onde o prefeito Odorico Paraguaçu tem como meta inaugurar o cemitério da cidade – tendo todas suas tentativas frustradas. Até a contratação de um cangaceiro assassino, vivido por Lima Duarte, falha. O político ludibria o povo com palavras falsas e enfrenta também a oposição de grupos locais e da imprensa, que desconfia de suas intenções. Odorico ainda consegue tempo para viver um verdadeiro “quadrado amoroso” com as três irmãs cajazeiras, personagens eternizados na dramaturgia da TV brasileira.

O espetáculo ainda não tem previsão de estreia e outros nomes envolvidos no projeto ainda não foram divulgados.

Etiquetas
Mostrar mais

Cláudio Martins

Jornalista formado pela FACHA (RJ) e fundador do A Broadway é Aqui!

Artigos relacionados

Comente

Botão Voltar ao topo
WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Fechar