B!CultCinemaDublagemMúsicaMusicaisVídeos

Artista multimídia, Marianna Alexandre lança single e planeja um 2021 movimentado

Além da música autoral, atriz e cantora arquiteta projetos no palco, na TV e no cinema

Foto de capa: Pino Gomes

Foram os adiamentos provocados pela Covid-19 que levaram Marianna Alexandre a viver um ano mais tranquilo e até introspectivo. A jovem, que antes mesmo de completar 20 anos já se divide em múltiplas funções artísticas, emendando trabalhos no teatro e mantendo uma rotina intensa na dublagem, aproveitou o período de isolamento social para externizar alguns sentimentos e transformá-los em música, um resultado que pode ser visto e ouvido em ‘Cor de Mel’, seu primeiro single lançado recentemente nas plataformas digitais.

Aproveitando o momento provedor de reflexões, Marianna compôs uma canção que fala sobre a importância de celebrar o que é vivido, no tempo em que é vivido, e valorizando aqueles que realmente importam. Foi através de uma parceria com Davi Pithon que a ideia ganhou vida em forma de música e clipe, ao lado de outros parceiros como o produtor Erik Sterenfeld, a diretora Beatriz Passeti e o filmmaker Fábio Coxta, que, contando também com o apoio da família da cantora, conseguiram realizar seus trabalhos mesmo em meio às restrições da pandemia.

“Gravar nesse período foi um desafio porque tivemos que ter uma limpeza e cuidado com tudo e com todos, mas todo o processo foi muito tranquilo. Busquei por pessoas que se identificassem com o projeto e embarcassem nessa comigo. Primeiro entrei em contato com um amigo dos tempos de colégio, Erik, que topou ser meu produtor musical, gravamos a música em algumas horas no Home Studio dele (seguindo todas as medidas de segurança), onde a energia era incrível. Depois veio o clipe, em que eu queria trazer toda a calma da música para ele. Escolhi gravar na praia de Grumari (RJ) onde também fizemos tudo em um dia. Foi uma loucura, mas daquelas boas, sabe? (risos). É um projeto independente, então grande parte dele foi feita na base do amor!”, conta ela, que apostou nas inspirações vindas do duo Anavitória e do trio Melim, novos talentos da MPB.

Antes e depois de ‘Cor de Mel’

Foi de pequena, aos sete anos, que Marianna descobriu sua facilidade para algumas áreas artísticas e foi estimulada a desenvolvê-las. Começou fazendo musicalização infantil, participando de coral e aprendendo teclado até entrar para o curso básico da Escola de Música de Brasília, onde morava na época, para obter um diploma de pianista erudita.

Das aulas de música vieram as oportunidades na atuação e sua primeira oportunidade no cinema, com o filme ‘O Outro Lado do Paraíso’, onde fez uma participação capaz de mudar todos os planos juvenis de Marianna. Já na adolescência, morando no Rio de Janeiro, aprimorou seus conhecimentos em diversos cursos como na CAL e também no Ceftem, usufruiu de uma experiência internacional, ao ganhar uma bolsa de estudos para estudar Teatro Musical no New York Conservatory for Dramatic Arts, e investiu na dublagem, em aulas com grandes profissionais do gênero.

Com alguns musicais no currículo, Marianna integrou o elenco de produções como ‘Uma Canção para Janis’, dirigido por Bruce Gomlevsky, com quem também trabalhou em ‘Festa de Família’. Esteve em cena com ‘O Mundo Mágico de Oz’, ‘Só por Hoje – O Musical‘, ‘Se Meu Apartamento Falasse‘, na recente montagem de ‘A Noviça Rebelde‘, alternando o papel de Liesl com Larissa Manoela, e participou de apresentações especiais de ‘Beatles Num Céu de Diamantes’.

Na dublagem coleciona fãs que admiram seus trabalhos em filmes e séries de terror e suspense, como ‘Invocação do Mal 2’, ‘Anabelle 2’ e ‘Pretty Little Liars’, e também em produções exibidas pelo canal Disney Channel como ‘A Guarda do Leão’ e ‘Gabby Duran – Babá de Alliens’.

Antes da paralisação dos teatros, em função do novo Coronavírus, Marianna se preparava para estrear no musical ‘Heathers’ e estrelar a montagem ‘Até o Fim do Mundo’, da Dagnus Produções. Dentre os projetos que ficaram para 2021, e que prometem movimentar o ano, está o lançamento da cinebiografia musical ‘Um Broto Legal’, que conta a história da cantora Celly Campello, interpretada por ela em todas as vezes, a estreia de seu primeiro monólogo com o texto ‘Valsa nº 6’, de Nelson Rodrigues, e a estreia na TV, em um dos núcleos e fases da novela ‘Gêneses’, a ser exibida pela Record TV.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Comente

Botão Voltar ao topo
Fechar