BroadwayCoronavirusDisneyMusicais

Musical “Frozen” é cancelado e não retornará à Broadway após fim da quarentena

Os efeitos negativos da pandemia no teatro já estão começando aparecer e o espetáculo da Disney foi afetado

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, os teatros da Broadway, em Nova York, foram fechados em março e os prejuízos chegam a US$ 33 milhões por semana. Após o governador Andrew Cuomo decretar que as apresentações teatrais ficarão suspensas até dia 6 de setembro, foi anunciado nesta quinta-feira (14) que “Frozen” não voltará ao St. James Theatre.

Nas redes sociais oficiais do musical, foi postado o seguinte: “Estamos com o coração partido ao anunciar que Frozen não reabrirá assim que a Broadway voltar. Obrigado pelo amor, paixão e magia que compartilhamos durante nossas incríveis 851 apresentações no St. James Theatre”.

A produção seguirá em turnê e as montagens em outras partes do mundo continuarão em cartaz. “Vale a pena se derreter por algumas pessoas, e hoje nossos corações estão se derretendo por vocês. Esperamos vê-los em turnê na América do Norte e em Sydney, Londres, Hamburgo e Tóquio em breve”, foi escrito no post fazendo referência a uma fala do personagem Olaf, um boneco de neve que sonha com o verão.

Frozen
Caissie Levy como Elsa

Antes da pandemia, três produções da Disney Theatrical Productions estavam em cartaz na Broadway: “O Rei Leão”, “Aladdin” e “Frozen”, sendo a último o menos rentável. Segundo o The New York Times, a empresa responsável pelo show explicou que quando os teatros reabrirem, o público retornará de forma gradativa e, dessa forma, não será possível sustentar todos os shows.

“Essa decisão difícil foi tomada por várias razões, mas principalmente porque acreditamos que três produções da Disney serão títulos demais para rodar com sucesso no novo cenário da Broadway”, disse Thomas Schumacher, presidente da Disney Theatrical Productions, ao The New York Times.

O musical “Frozen” estreou oficialmente na Broadway em março de 2018 com Caissie Levy no papel de Elsa e Patti Murin como Anna. O musical chamou atenção por trazer músicas inéditas, como Monster, e por optar que o personagem Kristoff seria sempre interpretado por um ator negro, ressaltando a necessidade de mais representatividade para o teatro musical. Ciara Renée era a atual Elsa da Broadway e a escolha da atriz para substituir Caissie Levy foi celebrada já que ela foi a primeira atriz negra viver a rainha de Arendelle.

Etiquetas
Mostrar mais

William Amorim

Jornalista com trabalho acadêmico de pesquisa sobre a história do Teatro Musical no Brasil, repórter de entretenimento/cultura no Portal iG, jurado do Prêmio DID e colunista do A Broadway É Aqui!

Artigos relacionados

Comente

Botão Voltar ao topo
Fechar