João Fonseca fala sobre “Cazuza – O Musical” e a estreia em São Paulo

Aconteceu na última quinta, 17, a estreia do espetáculo que fala sobre a vida e obra de Cazuza, considerado um dos maiores poetas da música brasileira, e que mesmo tendo levado uma vida louca e breve, deixou um legado imenso, que durante 165 minutos é revivido no palco.
“Cazuza – Pro dia nascer feliz, O Musical”, que estreou em 04 de outubro de 2013, no Rio de Janeiro, e se despediu recententemente de uma turnê pelo Brasil, que incluiu paradas em Santos, Vitória, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Paulínia e Fortaleza, agora desembarca em São Paulo, para uma temporada a princípio programada até dezembro.

Com algumas substituições no elenco, ele segue protagonizado por Emílio Dantas, que reveza as apresentações com Osmar Silveira, e conta ainda com Susana Ribeiro, Marcelo Várzea, André Dias, Fabiano MedeirosBrenda Nadler, Thiago Machado, Igor Miranda Alves, Saulo Segreto, Dezo Mota, Sheila Matos, Diego Montez, Juliane Bodini e Oscar Fabião.

Elenco Cazuza SP

 

O B! marcou presença na estreia e bateu um papo com o diretor João Fonseca, que vem embalando um sucesso atrás do outro no mundo dos musicais. E quando perguntado sobre o que o fez entrar nessa onda de biográficos, ele conta:

“Como dizer… Eu gosto. Foi uma coisa que veio com o Tim Maia, e não foi planejado, depois o Cazuza, que eu não tinha como não falar, e agora acabei estreando a Cassia, que era uma coisa muito particular, mas não pretendo me aprofundar mais nisso não (risos), pretendo dar um tempo de musicais biográficos agora”.

Por trás das grandes produções que retratam a vida de estrelas da música, há sempre um processo que exige um mergulho profundo no passado pessoal e profissional do homenageado, uma busca demorada, onde cada detalhe se torna indispensável para a construção da trama, a seleção da trilha, a escolha do elenco, a composição dos personagens, e por fim, a direção de tudo isso junto. Com “Cazuza” não foi diferente…

“Em ‘Cazuza’ eu participei uns quatro, cinco meses, o Aloísio de Abreu, que escreveu, participou muito mais, mas também é um envolvimento muito grande, é muito material. O Cazuza já é de uma época, que diferente do Tim, tem material desde o nascimento, é de uma época que já tem mais audiovisual, então tem muita entrevista, muito show gravado, muito tudo, o que é bom”, conta João sobre o desenvolvimento do projeto.

cazuza

Chegando ao palco do Teatro Procópio Ferreira para uma temporada que deve lotar suas sessões – como vem acontecendo há nove meses, já não é novidade ouvir por aí que a opinião do publico paulistano tem sempre um peso diferenciado, conhecido por ser mais criterioso, isso naturalmente gera uma expectativa maior, e sobre essa tão esperada chegada, ele fala:

“Fizemos duas apresentações até agora e foi uma reação espetacular, um publico quente, exigente, mas que respondeu muito bem, o Cazuza é um ídolo do Brasil, e tenho certeza que as pessoas vão querer assistir e gostar” – responde João durante uma entrevista na coletiva.

O musical, que completará um ano em cartaz durante a temporada em São Paulo, e já tem ingressos esgotados para as duas primeiras semanas, parece rumar para os mesmos caminhos bem sucedidos de “Tim Maia, Vale Tudo”, que se despediu dos palcos depois de três anos. De acordo com o diretor, a peça pode ainda voltar ao circuito carioca ou retomar a turnê pelo país em 2015. E quando perguntado se acredita que “Cazuza” também ficará em cartaz por muitos anos, Fonseca diz:

“Acho que sim. A gente sempre quer que o espetáculo dure o maior tempo possível, um musical tem sempre uma estrutura muito grande, difícil. É tão difícil no teatro a gente ter esse encontro com o publico, essa adesão… Acho que a gente não pode brincar com os Deuses, temos que continuar trabalhando, levando… E eu faço com muito prazer, é muito bom”.

João Fonseca - Foto: Divulgação

João Fonseca – Foto: Divulgação

O espetáculo que tem texto de Aloísio de Abreu, aborda os momentos mais marcantes da vida de Caju, como era conhecido, relata sua relação com os pais, a trajetória profissional, as parcerias de sucesso, os casos e acasos amorosos, e o contato intenso com o álcool e as drogas, tudo muito costurado por grandes sucessos musicais, como “Codinome Beija-Flor”,  “Pro dia nascer feliz”, “Exagerado”, “Bete Balanço”, “Ideologia”, “Eu Preciso Dizer que Te Amo”, “Faz Parte do Meu Show”, entre muitas outras, que são apresentadas sob a direção musical de Carlos Bauzys, a supervisão de Daniel Rocha, e as coreografias de Alex Neoral.

Veja fotos da estréia:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Serviço:
“Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, o Musical”
Teatro Procópio Ferreira (641 lugares)
Rua Augusta, 2.823, Cerqueira César – São Paulo, SP
Quando: A partir de 18 de julho
        De quinta a sexta, às 21h; 
        Sábados, às 17h30 e 21h30
        Domingos, às 18h.
Quanto: Entre R$ 50 a R$180

 

Anúncios

Uma resposta para “João Fonseca fala sobre “Cazuza – O Musical” e a estreia em São Paulo

  1. Pingback: “O Grande Circo Místico” encerra temporada no Rj e leva sua trupe para São Paulo | A Broadway é Aqui!·

E você? O que achou da matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s