BastidoresEntrevistaPelo Brasil

Bate papo com o elenco e direção de “Rock in Rio – O Musical”

Com um orçamento em torno de R$ 12 milhões, “Rock in Rio – O Musical” vem para mostrar que o Brasil não é só o país das grandes montagens de espetáculos internacionais. A peça é uma produção da Aventura Entretenimento em parceria com a família Medina e explora a necessidade da música em nossa vida. O festival passa apenas como pano de fundo para a história dos jovens Alef, vivido por Hugo Bonemer e Sofia, interpretada pela estreante em musicais Yasmin Gomlevsky.

Inicialmente o projeto seria tocado pela dupla Möeller e Botelho, mas com a saídas dos dois da Aventura, João Fonseca, responsável pelo sucesso “Tim Maia – Vale Tudo”, foi convidado para dirigir o musical, que tem texto de Rodrigo Nogueira e direção musical de Délia Fischer.O enredo apresenta a história de Alef e Sofia, dois estudantes que vivem um trauma pela perda do pai e da mãe, respectivamente. Enquanto um não fala, apenas se expressa pela música, a outra esconde suas aflições falando demais. O musical estreou em janeiro, inaugurando parte da polêmica Cidade das Artes, no bairro carioca da Barra da Tijuca.

Lucinha Lins dá vida a mãe de Alef, professora de universidade onde a história se passa. Já Guilherme Leme interpreta o pai de Sofia, um ex-músico e agora empresário, organizador de um festival de rock. Os dois atores foram os únicos convidados para participar o musical, enquanto o resto do elenco passou por uma audição. O grupo tem nomes já conhecidos no teatro musical, como Kakau Gomes, o próprio Hugo Bonemer, Felipe Habib, ao lado de nomes mais conhecidos do grande público, como Ícaro Silva, que interpreta Marvin, melhor amigo de Alef.

Ao todo de 25 atores, ao lado de 9 músicos que executam cerce de 50 canções.A seleção das músicas foi feita a partir de canções que ajudassem a contar a história e que ao mesmo tempo tivessem sido relevantes para o festival. A presença majoritária de um repertório nacional e o fato de ser uma história original dão uma cara “brasileira” ao espetáculo”, diz o diretor João Fonseca, em entrevista exclusiva ao A Broadway é Aqui!, que também celebra o sucesso dos musicais no país.

joao

“Acho que cada novo musical ajuda a consolidar o gênero, qualificando cada vez mais os profissionais e mostrando que o publico quer ver bons espetáculos sejam eles musicais nacionais ou internacionais, historias conhecidas ou originais”.
lucinhaQuem também está feliz com o sucesso é Lucinha Lins. “O Rock in Rio O musical” realizou um sonho antigo meu, que é ser dirigida pelo João Fonseca. O festival fez parte da trilha sonora da minha vida e de momentos mágicos diantes de artistas incríveis que sou tiete. Para mim, estar ao lado de um elenco tão jovem, aprendendo todos os dias tanta coisa diante de tantos talentos, só me faz crescer”, diz a atriz em entrevista ao portal.

yasmim

Para Yasmim, o Rock in Rio foi e está sendo a primeira oportunidade em que ela pode fazer convergir todos os aprendizados que adquiriu em torno da dança, do canto e da interpretação em um único espetáculo. “É uma maratona que me põe à prova todos os dias. Mas, por mais que a gente estude e teorize – o que é muito importante e sem o que não se chega a uma peça desse porte -, nada é mais precioso do que aprender com o dia a dia de um musical. Quais são os seus limites, o que você precisa fazer e deixar de fazer para chegar com voz todos os dias ao teatro, o equilíbrio entre a emoção e a técnica, são coisas que nenhuma escola dá conta de te ensinar, precisa viver na pele pra conhecer”.

Segundo a jovem atriz, o seu maior desafio nesta produção foi encontrar um rumo para sua personagem no segundo ato. Houve algumas mudanças no texto, fazendo com que Sofia perdesse seu bem mais precioso, a fala. “Bati muito a cabeça para descobrir uma maneira de mostrar uma Sofia fragilizada e ao mesmo tempo com a mesma essência forte de quando ela se apresenta ao público. Foi complicado, mas acho que o João me ajudou a encontrar um caminho bacana”, comenta Yasmim.

hugo

Já para Hugo Bonemer, o musical exigiu mais comprometimento, mais confiança, mais disciplina e muita coragem. “Uma obra em desenvolvimento, no teatro, foi algo que nunca tinha vivido. Num trabalho com um texto pronto e fechado, já é difícil entender todas as relações descritas na obra, com um texto em desenvolvimento ninguém sabe para onde o personagem vai. João Fonseca (direção) e Rodrigo Nogueira (texto) foram experimentando maneiras de se contar a história deste casal que se encontra por causa da música. Tínhamos que estar sempre prontos, sempre saudáveis e bem-humorados para uma construção incrivelmente mutável, dinâmica onde a psiquê do personagem ia sendo escrita, riscada, rabiscada e apagada a cada ensaio. Teve momentos que virou um borrão pra mim e o pior é que eu confesso. Adorava quando o borrão acontecia. Era porque tinha informação sobrando. Era hora de passar a limpo e realmente jogar fora o que não estava funcionando”.

“Foram três meses deliciosos e num ritmo de preparação militar. Perdi dez quilos desde novembro até janeiro e um pouco da vida social. Por sorte encontrei um elenco delicioso que acabou virando também minha família, como acaba acontecendo quando os pais e os amigos de infância moram longe. Difícil resumir o quê: Tudo foi desafiador e por isso extremamente prazeroso” diz ator em entrevista ao A Broadway é Aqui!.

Não deixe de ver nosso álbum de fotos da visita que fizemos aos ensaios de Rock in Rio – O musical!

Serviço

Local: Cidade das Artes – Grande Sala
Av. das Americas, n° 5.300
Ao lado do terminal Alvorada

Sextas, às 21h30
Sábados, às 17h00 e 21h30
Domingos, às 19h30

Mostrar mais

Artigos relacionados

Comente

Botão Voltar ao topo
Fechar