Especial DuB!agem: Claudio Galvan

20190623_005033_0000.png

Por Claudio Galvan

“Dublar ‘Mulan’ dando voz ao Capitão Lee Shang, foi um processo longo, porque era um filme longa-metragem, que foi muito bem preparado, muito bem estruturado, com acompanhamento todo de fora, deles o tempo inteiro com a gente para resolver os detalhes. A direção musical foi do Marcelo Coutinho, na época, e a minha canção, que se chama ‘Não Vou Desistir de Nenhum’, virou um hino, é uma canção linda e em todo lugar que eu vou as pessoas falam dela e perguntam. E tem uma curiosidade muito legal sobre ela, na letra, bem no refrão, onde fala ‘Homem ser…’ e muita gente acha que é “Vou vencer’, sempre teve uma polêmica aí (risos). Essa dublagem foi fantástica, é uma das que eu guardo assim, pra sempre.

Outro trabalho desses que ficam marcados pra sempre foi ‘O Corcunda de Notre-Dame’, onde fiz, o Clopin, porque é um clássico, é uma história clássica de Vitor Hugo adaptada para o clássico da Disney, e as músicas eram todas bem difíceis, mas ‘Os Sons de Notre-Dame’, da abertura, que depois tem uma finalização, realmente essa foi bem difícil, porque as notas finais eram muito agudas e eu tive que repetir várias vezes, enfim, foi um trabalho que necessitou muita técnica e muita dedicação, também fizemos em alguns dias as canções, com um coro muito grande, com vários solistas, foi um trabalho realmente muito diferenciado.

E já o Príncipe Edward, de ‘Encantada’, foi mais divertido, ele não era nada convencional, tinha uns pedaços de música em que ele era interrompido porque sofria um acidente quando ia cantar pra ela, enfim, foi um clima mais de comédia romântica mesmo. Não foi tão difícil de fazer, apesar de ser com uma conotação mais lírica, porque ele era um personagem de época, ele cantava sempre como se estivesse cantando em uma ópera (risos), foi tão divertido que também me marcou bastante”.

Anúncios