Júlio Oliveira será o baixista Champignon em musical sobre banda Charlie Brown Jr.

Ele é jovem e talentoso, se envolveu com a musica ainda criança, ao integrar por anos um coral lírico do colégio de freiras onde estudava, e descobriu na adolescência, com 14 anos, uma veia artística que pulsava insistente, tudo graças a um incentivo inesperado, que o fez investir e apostar em seu primeiro curso de teatro. Desde então, Julio Oliveira vem colecionando personagens especiais, e diferentes experiências na TV, nos palcos e no cinema.
Aos 24 anos, o ator, que é também cantor, traz na bagagem mais de 30 peças, três novelas, uma minissérie, três longas metragens, e se prepara agora para fazer parte do elenco de seu quinto grande musical,Dias de Luta, Dias de Gloria – Charlie Brown Jr, o Musical”, onde dará vida ao baixista Luiz Carlos Leão Duarte Junior, mais conhecido como Champignon. Em entrevista exclusiva ao B! , ele conta como tem lidado com o peso dessa responsabilidade.

“Toda obra biográfica é uma patinação artística numa corda bamba. É necessária uma atenção diária e minuciosa no processo de construção pra que a história não ganhe um cunho tendencioso, pois é muito fácil a história ganhar rumos para algum lado. Minha missão/desafio é ser pelo menos justo com a realidade, é de muita responsabilidade “invadir” a vida de alguém”.

Foto: Carol Weingrill

Foto: Carol Weingrill

Com uma vida exposta na mídia ao longo de duas décadas, o baixista, que cometeu suicídio em 2013, passou por pelo menos cinco bandas diferentes, o que fez dele uma figura conhecida ao trilhar um caminho musical popular e muitas vezes polêmico. Em contrapartida, o personagem de Julio Oliveira tinha um lado poético e emocional que transparecia em suas composições, letras que o revelavam como um bom amigo, marido e futuro pai, e esclareciam suas ideias e seus valores sem receios ou pudores. E sobre a construção desse Champignon multifacetado, e os desafios que ainda acha que enfrentará ao longo do tempo, ele revela:

“Eu acredito que toda pessoa que possui um espaço na mídia, possui uma responsabilidade social. Não que seja uma obrigação, mas simplesmente não dá pra viver alheio às coisas que acontecem quando se vive em um país com TANTOS problemas. Acho que por isso os grandes artistas sempre tomam partido de algo, se posicionando e tentando elevar as coisas para um lado melhor. Champignon era um desses. Tenho me aproximado de pessoas que eram próximas dele, inclusive na infância, já que no Musical interpreto ele dos 12 aos 35 anos. Minha meta não é recriar o Champignon em cena, mas sim me comprometer em mostrar a verdade dele do modo mais justo possível”.

_MG_9004

Foto: Amanda Cibele

Assim como Julio, o musico santista iniciou sua carreira muito cedo. O baixista, que também soltava a voz e se destacava por suas composições, dominava ainda outros instrumentos como a guitarra, o teclado, e a bateria, o que lhe rendeu indicações e prêmios em categorias como Melhor Instrumentista e Melhor Contra-baixista, deixando claro seu entrosamento com a musica, realidade essa que também é bastante familiar e confortável para o jovem que o interpretará.

“Toquei violino por três anos quando mais novo. Aprendi a ler partitura e apurar a audição musical, porque as aulas eram em orquestra, passei anos em coro lírico na época do colégio. Tudo vai sendo armazenado como bagagem, mas a maior bagagem mesmo, de qualquer coisa que se relaciona à arte, é a constante produção. Estar produzindo é fundamental. Mesmo com a correria de ensaios e gravações, não abro mão das minhas aulas de canto”.

Quando perguntado sobre sua ligação com a banda Charlie Brown Jr. e com as canções sempre atuais dos meninos de Santos, divididas entre declarações de amor e discursos políticos, eleger uma preferida pode parecer difícil, mas não impossível.

“‘Podem me tirar tudo o que tenho. Só não podem me tirar as coisas boas que eu fiz pra quem eu amo’ – Dias de Luta, Dias de Glória.
Precisa de explicação? Aprendi que tudo que é plantado na história com amor, VOLTA. Mesmo que seja pela culpa, mas VOLTA.

Minha relação com o Charlie Brown Jr. começa como qualquer nascimento de um ídolo: pela identificação! Quem não tem ao menos 10 momentos da vida em que Charlie Brown é a trilha sonora perfeita (risos)?”.

DSC04732 (2)

Julio Oliveira durante ensaios do musical – Foto: Carol Weingrill

Em um ritmo acelerado de ensaios desde o dia 07 de janeiro, Julio aproveita os últimos meses afastado da televisão para se aprofundar no universo de “Champs”, mas já se prepara para encarar uma rotina dividida; O ator estará no elenco principal da próxima novela da Rede Record, “Os 10 Mandamentos”, e as gravações acontecerão em paralelo a temporada paulistana, um desafio que ele demonstra estar cheio de coragem e disposição para encarar.

“Um Egípcio e um Rock Star!  São papéis completamente diferentes… Vai ser uma loucura me dividir entre as gravações no Rio e o espetáculo em São Paulo, porém a profissão tem dessas coisas, então o cuidado com a saúde vira quase uma obrigação pra dar conta de tudo. Mas cá entre nós, que delícia ter a oportunidade de se cansar fazendo aquilo que se ama! Só tem espaço pra gratidão aqui!”.

O espetáculo biográfico “Dias de Luta, Dias de Gloria – Charlie Brown Jr, o Musical“, que é uma realização da S3 Produções Artísticas com o patrocínio do Grupo Gamaro, tem estreia marcada para o dia 13 de março, no Teatro Gamaro, em São Paulo, onde fará temporada até 12 de julho.

champignon-baixista-73e3b*A Broadway é Aqui! – Divulgador Oficial*

Anúncios

E você? O que achou da matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s