Especial “Memórias” – Judy Garland

Por Suellen Ogando

640px-Judy_Garland_star_HWFO dia 10 de junho é uma data especial para os fãs de teatro musical e do cinema. Nesta data nasceu Frances Ethel Gumm, que futuramente ganharia o nome artístico de Judy Garland, e com ele entraria para a história por sua contribuição à arte como atriz, e também por toda polêmica envolvida em torno de sua rápida passagem pelo mundo – apenas 47 anos.

Filha caçula de um casal de artistas, Judy nasceu no ano de 1922, em Grand Rapids, Minnesota, onde seus pais, Francis Avent Gumm e Ethel Marion Milne, trabalhavam com  teatro, e naturalmente construiu uma carreira prolífica no cinema e na TV. Judy viveu alguns relacionamentos amorosos, o que inclui os músicos Artie Show, David Rose, e o diretor Vincente Minnelli, com quem se casou, em 1945, e um ano depois teve uma filha, Liza Minnelli, famosa por seguir os mesmos passos da mãe, brilhar em projetos musicais como “New York, New York”, e contribuir para manter intacto o legado de sua maior inspiração.

Hoje, a página oficial de Liza Minnelli no Facebook postou sua homenagem em comemoração aos 92 anos que sua mãe completaria:

Happy Birthday Mama. I miss you every day of my life and love you more than ever

Judy

Crédito: Reprodução (rede social)

Prêmios e Carreira

Seu grande sucesso inicial foi a personagem Dorothy Gale, dona dos sapatinhos de rubi, em o “Mágico de Oz”, ela tinha 16 anos na época em que disputou o papel com Shirley TempleDeanna Durbin e deu vida a mocinha do primeiro filme em cores do cinemaFoi neste trabalho em que ela interpretou a canção pela qual é lembrada por décadas: “Over the rainbow“.

Em 1940, já adulta, Judy estreou os filmes: “Andy Hardy Meets Debutante“, “Strike Up the Band e “Little Nellie Kelly”. No ano de 1942, a atriz atuou em “For Me and My Gal, ao lado de Gene Kelly. Neste trabalho ganhou destaque com uma personagem mais madura pela primeira vez e, efetivamente, fez sua transição de estrela adolescente para atriz adulta.

Judy brilhou também em um grande sucesso, lançado pela MGM: Meet me in St. Louis, onde apresentou três canções que também se tornaram uma marca pessoal: The Trolley Song”, The Boy Next Door” e Have Yourself a Merry Little Christmas”.

Durante essas filmagens, Vicente Minnelli  foi designado para dirigir esse filme e pediu que a maquiadora Dorothy Ponedel cuidasse da aparência da atriz. Ponedel refinou a aparência de Judy de diversas maneiras, incluindo a ampliação e remodelação das sobrancelhas, mudando seu cabelo, modificando sua linha de lábio e retirando seu modelador nasal. Judy gostou tanto do resultado, que Ponedel foi incluída no seu contrato para realizar todas as suas fotos na MGM.

Judy  Meet me in St. Louis

No começo da década de 1950, novamente com Gene Kelly, ela estrelou “Summer Stock“, lançando outra canção de sucesso  “Get Happy“:

Em 1954,  por “A Star Is Born“, ganhou um Golden Globe. Anos mais tarde, em 1953, foi a primeira mulher a receber o Prêmio Cecil B. De Mille pelo conjunto de trabalhos cinematográficos, fechando suas conquistas com chave de ouro em 1974, quando ganhou o Grammy Lifetime Achievement Award.

still-of-judy-garland-in-a-star-is-born-(1954)-large-picture

Luta pela beleza

Apesar de seus triunfos profissionais, Judy lutou contra vários problemas pessoais ao longo de sua vida. Insegura com sua aparência, seus sentimentos foram agravados por executivos de cinema que disseram que ela era feia e com sobrepeso. Tratada com medicamentos para controlar a balança e aumentar a sua produtividade, Judy suportou décadas de uma longa luta contra o vício, além de se ver tormentada por uma instabilidade financeira, muitas vezes por dever milhares de dólares em impostos atrasados.
Seus primeiros quatro casamentos – foram cinco ao total – terminaram em divórcio. Ela tentou o suicídio em várias ocasiões, mas morreu de uma overdose acidental aos 47 anos, deixando as três filhos, Liza Minnelli, Lorna Luft e o filho Joey Luft.

Musical biográfico

A atriz também foi homenageada no espetáculo “End of the Rainbow“, de Peter Quilter, que retratou seus últimos dias de vida ao lado do quinto marido, Mickey Deans. O musical estreou em Sidney, na Austrália, em 2005, passou por West End em 2010, e chegou ao Brasil em 2011, um ano antes de estrear na Broadway, pelas mãos da dupla Claudio Botelho e Charles Möeller.
“Judy Garland – O Fim do Arco-Íris” contou com a atriz Cláudia Netto (Se Eu Fosse Você, o Musical) no papel de Judy, que dividiu o palco com Igor Rickli (Hair/Jesus Cristo Superstar) e os veteranos Gracindo Junior e Francisco Cuoco.

Judy Garland

 

Anúncios

E você? O que achou da matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s