Danilo de Moura, um Tim Maia que “vale tudo”.

Ele não é o “síndico do Brasil” que Jorge Ben Jor mandou chamar, não administra um condomínio, mas conduz um palco com maestria, a começar pelo fato de comparecer a todas as apresentações e pontualmente (risos).

Anúncios