Elenco de “A Madrinha Embriagada” é apresentado

Chega a São Paulo no próximo semestre e pelas mãos de Miguel Falabella“A Madrinha Embriagada” (The Droesy Chaperone), o espetáculo musical mais premiado da Broadway em 2006, vencedor de cinco prêmios Tony Award, dentre as 13 categorias em que foi indicado, e sete Drama Desk Award. Trata-se da adaptação de uma comédia musical inspirada nos anos 20, de Bob Martin e Don McKellar, e com uma construção bastante curiosa, que começou em 1997, quando McKellar, Lambert, Morrison e outros amigos criaram uma paródia dos musicais antigos para a despedida de solteiro de Bob Martin. Em sua primeira montagem, os estilos musicais iam de 1920 a 1940, e as piadas eram mais ousadas, mas algum tempo depois o texto foi reformulado especialmente para o Festival Frinde Toronto, onde Martin se tornou o co-escritor, criando o personagem “Homem da Poltrona” para servir como um narrador e comentarista da peça.

 banner-madrinha

A trama se passa em 1928 e gira em torno de um personagem que atende por “Homem da Poltrona” (Man In The Chair), um viciado em musicais e que durante uma noite de vazio e conflito pessoal, escolhe ouvir o LP de um dos seus preferidos, o fictício “A Madrinha Embriagada”, para distrair a mente como uma fuga de sua realidade… E como num passe de mágica, ao ouvi-lo, os personagens surgem em sua casa, dando assim início ao número de abertura, em inglês chamado “Francy Dress”, e que se passa no dia do casamento de Robert Martin e a estrela da Broadway, Janet Van De Graaff; Mas a união do casal, como em toda boa história, não agrada a todos e acaba desencadeando uma serie de confusões encenadas em divertidos números musicais e envolvendo uma série de personagens fundamentais do enredo.

Embora tenha mantido a divertida essência da montagem original, Miguel optou por dar um toque abrasileirado à sua, fazendo algumas adaptações e transportando a história para a “São Paulo dos anos 20″, “reconstruindo” alguns personagens e simplificando seus nomes. Para estrelar essa produção, 25 rostos conhecidos de outros famosos espetáculos musicais brasileiros; Uma reunião de talentos unidos para dar vida a um projeto que já é sucesso, e que em parceria com a FIESP e o SESI-SP, foi pioneiro em uma proposta de interação e oportunidade a formação de novos públicos.

Elenco:

A atriz convidada Stella Miranda (a madrinha embriagada), Ivan Parente (o homem da poltrona), Paula Capovilla (a madrinha embriagada – alternante), Cleto Baccic (o amante argentino), Sara Sarres (Jane Valadão), Frederico Reuter (Roberto), Kiara Sasso (Kitty), Saulo Vasconcelos (Feldzieg), Ivana Domenyco (Dona Francisca), Edgar Bustamante (Agildo), Adriana Campparelli (Dora), Fernando Rocha (o padrinho), Daniel Monteiro (gangster), Rafael Machado (gangster), Luana Zenun (cover e ensemble), Jana Amorim (cover e ensemble), Andrezza Massei (cover e ensemble), Elton Towersey (cover e ensemble), Will Anderson (cover e ensemble), Luiz Pacini (cover e ensemble), Jesse Scarpellini (cover e ensemble), Anelita Gallo (swing), Carol Costa (swing), Ditto Leite (swing) e Max Oliveira (swing).

Este slideshow necessita de JavaScript.

“A Madrinha Embriagada”, que faz parte do Projeto Educacional SESI – SP em Teatro Musical, estreia no dia 14 de agosto, no Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso, em São Paulo, onde ficará em cartaz até julho de 2014. Estima-se para ele, um publico de 150 mil espectadores ao longo de suas 325 apresentações (8 por semana) - todas gratuitas, e com a possibilidade de percorrer outras cidades do país, de acordo com Paulo Skaf, presidente da FIESP e do SESI – SP.

“Eu comentava ao Falabella, ‘- Podíamos pegar a peça, que vai ter uma temporada de 11 meses e programar algum desses meses, talvez em alguns teatros nossos do interior’… E ele disse: ‘Nós vamos fazer o estudo da estrutura e da possibilidade de talvez fazermos uma coisa que possa atender não só a capital, mas também algumas regiões do estado de São Paulo’”, diz Paulo Skaf.

O espetáculo que já rodou o mundo teve sua estreia em 1998 no The Rivoli, em Toronto, e seguiu para a Broadway em 1 de maio de 2006, ganhando desde então grandes produções em Los Angeles, Nova York, Londres e Japão, além de duas turnês norte-americanas. Agora, o texto de Bob Martin e Don McKellar chega ao Brasil com tradução, adaptação e direção de Miguel Falabella, música e letras de Lisa Lambert e Greg Morrison, figurinos de Fause Haten, e cenários com o “Q” da arte modernista, tendo como inspiração o quadro “São Paulo (Gazo)”, pintado por Tarsila do Amaral em 1924, além da produção do “Atelier de Cultura” e a realização da FIESP e do SESI – SP.

Foto: Grazy Pisacane

Foto: Grazy Pisacane

About these ads

E você? O que achou da matéria?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s